Os bastidores de uma obra.

Qualidade KonkretaQuem olha para uma casa ou um prédio em construção não imagina a quantidade de pessoas, empresas e entidades envolvidas nesse processo. Da concepção do projeto à entrega das chaves, muitos são os profissionais envolvidos.

É da coordenação dos esforços de todos que um projeto imobiliário se concretiza. São dezenas de especialidades profissionais necessárias para conceber, executar comercializar e entregar o produto final aos futuros moradores ou usuários.

Tudo começa com uma ideia. Em função do mercado, a incorporadora ou construtora idealiza um projeto e procura um terreno, ou, caso já tenho o terreno faz um projeto que se adapte ao mesmo e sua localização. Depois contrata um arquiteto para saber o que pode ser construído nesse espaço. Definido o projeto arquitetônico, fazem-se os projetos complementares (estrutural, elétrico, hidrossanitário, ar-condicionado, incêndio, entre outros).

Tiram-se as licenças (ambientais, bombeiro, alvará de construção, etc) que permitem iniciar as obras . Contrata-se a mão-de-obra. Coordena-se a execução da mesma. Tiram-se as licenças finais (ambientais, habite-se, etc). Entrega-se as chaves ao novo proprietário. E depois da entrega, o incorporador/construtor ainda têm que dar garantias que podem chegar até 20 anos. Ou seja, a construção de um imóvel é um processo longo, complexo e de longo prazo.

Hoje vamos apresentar, de forma resumida, apenas os profissionais mais comuns na maioria das obras, pois todos são importantes porque são especialistas nas suas respectivas áreas. Muitos outros ficaram de fora porque a sua presença só se faz necessária dependendo das características do projeto. Mas estes já são suficientes para mostrar o quanto uma obra, mesmo de pequena dimensão, pode ser complexa. Além destes profissionais ainda existem as entidades que emitem licenças, que escrituram e registram.

- Incorporador: Idealiza e desenvolve o projeto. Organiza e planeja e coordena todos os processos da sua construção, incluindo a comercialização. Também poderá construir o projeto.

– Construtor 
Pode ser o próprio Incorporador. Mas também pode ser contratado pelo Incorporador. É ele quem materializa o projeto.

– Despachante:
Trata de toda a burocracia inerente ao projeto: licenças, alvará de construção, habite-se, etc.

– Geólogo: 
Normalmente é uma empresa especializada em geologia que faz os testes de sondagem e absorção de solo. Estes testes são muito importantes poque é com base nos seus resultados que o engenheiro estrutural calculará o dimensionamento da estrutura.

– Topógrafo: 
Este profissional deverá fazer todo o levantamento topográfico do terreno que irá mostrar as características de nivelamento do lote. O seu trabalho será utilizado pelo arquiteto e engenheiros.

– Arquiteto: 
É a partir do trabalho do deste profissional que todo o imóvel é definido. O projeto arquitetônico é feito de acordo com as necessidades do cliente. Mostra as dimensões e os materiais a serem utilizados. É a partir do projeto arquitetônico que entidades oficiais emitem as licenças para se iniciar a construção. É também o arquiteto que faz a representação gráfica em 3D do projeto.

– Paisagista: 
O arquiteto-paisagista cria áreas verdes nos ambientes externos às edificações, harmonizando os espaços livres em função da recreação, circulação e preservação ambiental, integrando o homem à natureza.

– Decorador ou Designer de Interiores: 
Planeja os espaços interiores procurando as melhores soluções estéticas, harmonizando mobiliário, tecidos, cores, luminárias e outros materiais.

– Engenheiro Civil: 
É o responsável pelo acompanhamento da obra e elaboração do orçamento. Entre as funções do engenheiro civil estão a execução dos projetos estrutural, hidráulico e elétrico. A sua presença na obra deve ser desde as fundações até o término, já que deverá orientar e esclarecer os operários no que se refere o serviço técnico da obra.

– Mestre: 
O Mestre o Obras é o responsável pela leitura e interpretação das plantas desenhadas por arquitetos e engenheiros. Fiscaliza, orienta e coordena as diversas tarefas executivas que levam à execução prática dos projetos, incluindo toda a mão-de-obra. Recebe e confere as chegada dos materiais, fazendo com que não faltem. Mantém os arquitetos e engenheiros informados sobre o andamento da obra.

– Encarregado: 
Ele é um subordinado do mestre de obras. Esse profissional entra em cena no período das fundações e sai apenas na fase de acabamento. A suas funções são: gerenciar e fiscalizar material na obra, executar a obra, ter liderança, solicitar compras de materiais, conhecimento prático em obras de engenharia em geral.

– Apontador: 
O Apontador controlar a freqüência dos funcionários, fiscalizar a entrada e saída do material da obra com auxílio do almoxarife, fiscalizar os operários durante a execução da obra.

– Pedreiro: 
Este profissional irá executar os trabalhos de alvenaria e concretagem.

– Armador: 
Ele é profissional que deve efetuar os serviços que antecedem a construção das estruturas como as lajes, as vigas e as colunas. É ele que dobra e monta o aço estrutural dentro da armadura.

– Carpinteiro: 
A função do carpinteiro é de cortar a amar e instalar peças de madeira como as formas estruturais além da construção do canteiro de obra.

- Eletricista: Ele é o responsável pela segurança no que se refere às instalações elétricas da obra, durante a construção e depois da entrega ao morador. O eletricista interpreta a planta feita pelo engenheiro. Faz as ligações provisórias durante a obra e também as ligações definitivas de luz elétrica, instalando tomadas, interruptores, luminárias, etc.

– Servente: 
Entre os seus serviços está o transporte de materiais e o preparo de argamassa, além do auxílio direto ao pedreiro, carpinteiro e ao armador.

– Encanador: 
Tem a função de instalar os canos para as ligações de água e esgoto, além de colocar peças sanitárias pias torneiras e tanques.

– Marceneiro: 
Instala as portas de madeira e as fechaduras.

– Vidraceiro: 
Coloca os vidros nas portas e janelas.

– Gesseiro: 
Coloca os forros de gesso, incluindo detalhes decorativos como rada-tetos e sancas.

– Pintor: 
A sua função é preparar e regularizar as superfícies, e depois pintar com tinta, textura ou verniz seguindo as instruções do arquiteto.

- Jardineiro: Entra na fase final da obra para concretizar o projeto feito pelo arquiteto paisagista.

- Limpeza: No final de tudo a empresa especializada em limpeza pós-obra, vai deixar o imóvel limpo para ser entregue ao cliente final.

- Publicitário: Em parceia com o Incorporador, é ele que define a melhor estratégia para a venda rápida do imóvel, esteja ele em construção, ou já terminado.

- Gráfica: Imprime todo o papel e documentação utilizadas na divulgação comercial do imóvel, tais como panfletos e banners.

- Panfletista: Distribui o material publicitário diretamente (em mão) na rua a potenciais clientes.

- Corretor de Imóveis: Utilizando os seus conhecimentos pessoais e de marketing, ele é o responsável para encontrar os clientes para o imóvel.

- Outros profissionais:: Comunicações, TV, Interfone, Cerca elétrica, Impermeabilização, Alumínios.

 

 

Fonte: Forum da Construção

Governo está decidindo se ampliará o programa Minha Casa, Minha Vida

Minha casa Minha VidaEm mais uma iniciativa para melhorar o relacionamento com o setor privado, o ministro Guido Mantega (Fazenda) agendou uma reunião com o setor da construção civil, quando pode ser anunciada o aumento da meta de habitações da segunda etapa do programa Minha Casa, Minha Vida.

Segundo a Folha apurou, o governo vai analisar atender pedido do setor de elevar em 350 mil as unidades do programa, que passaria de 2,75 milhões de unidades para 3,1 milhões.

A decisão será tomada na reunião de hoje no Ministério da Fazenda, com o presidente da CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Construção Civil), José Carlos Martins.

O empresariado da construção civil já vinha reivindicando o aumento da meta desde meados deste ano para evitar que o setor passe por um momento de paralisação, depois de contratadas todas as obras para execução das 2,750 milhões de unidades da segunda etapa.

Empreiteiras alertaram, inclusive, que, sem o aumento da meta, há risco de demissões no setor, já que as empresas não teriam condições de planejar novos projetos a partir do final deste ano e início do próximo ano.

Até agosto, já haviam sido contratadas mais de 2,5 milhões unidades. Ou seja, o setor está próximo de cumprir toda meta da segunda etapa.

Seguindo orientação do Palácio do Planalto, a equipe econômica passou a atender pedidos do setor privado na busca de reconquistar seu apoio para a presidente Dilma Rousseff.

No dia 15 de setembro, Mantega reuniu empresários de multinacionais brasileiras e anunciou a extensão da redução da cobrança de Imposto de Renda sobre lucros no exterior para toda indústria. Na prática, a alíquota do IR caiu de 34% para 25%.

Na semana passada, o ministro já havia divulgado a volta da alíquota de 3% para o programa de estímulo a exportações, o Reintegra, em 2015. Este mecanismo devolve um percentual das vendas externas aos exportadores para dar mais competitividade à indústria brasileira.

A decisão de iniciar um processo de distribuir bondades para o setor privado tem como objetivo tentar evitar que o empresariado passe a apoiar a candidata do PSB, Marina Silva, nesta reta final da eleição.

A principal adversária da presidente Dilma Rousseff aparece na frente da petista nas pesquisas de simulação do segundo turno, o que tem preocupado a cúpula da campanha dilmista.

Fonte: Folha de São Paulo

Construção no Brasil encerrou o mês de Agosto com 0,52%, de acordo com IBGE.

Construção CivilO Índice Nacional da Construção Civil subiu 0,52% em Agosto, após alta de 0,58% em julho, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O índice acumula altas de 4,81% no ano e de 7,22% em 12 meses. Segundo o IBGE, o custo nacional da construção alcançou R$ 901,50 por metro quadrado em Agosto, contra os R$ 896,88 por metro quadrado estimados em Julho.

A parcela dos materiais aumentou 0,28% em agosto, para R$ 492,01, após subir 0,22% em julho. Enquanto isso, o custo da mão de obra subiu 0,80%, para R$ 409,49, ante alta de 1,01% na mesma base de comparação.

 

 

 

FONTE: InfoMoney: Informação que vale Dinheiro