Facilidades no financiamento imobiliário

Sabemos que obter a casa própria é o sonho da maioria das pessoas. E pode ser o seu também. Por esse motivo, nós da Konkreta queremos ajudá-lo a realizar esse sonho.

Para isso, vamos instruí-lo com algumas informações que você pode não estar a par, e por consequência perdendo um tempo valioso para concretizar esse grande desejo.
Você já deve estar ciente que pode utilizar o FGTS para comprar o seu imóvel, certo? Mas se houver dúvidas acesse aqui . Além do FGTS há outros incentivos para auxiliá-lo na aquisição da casa própria.

Vamos entender um pouco sobre Consórcio de Imóveis.

O consórcio é uma ótima opção para quem deseja adquirir o seu imóvel, mas não tem o dinheiro disponível no momento. Ou ainda, que não tem a disciplina de poupar.

Ao optar por essa modalidade, você passa a participar de um grupo com outros interessados para adquirir uma carta de crédito no valor do bem. Todo mês são realizados sorteios entre os integrantes desse grupo e qualquer um pode ser contemplado com a carta de crédito e, assim, fazer a compra do imóvel.

Uma das grandes vantagens do consórcio é que não há cobrança de juros, mas sim taxas administrativas. Essas taxas são diluídas nas parcelas e por isso os custos são mais baratos que um financiamento tradicional.

Outro fator que vale ressaltar é que nessa modalidade a análise de crédito costuma ser mais flexível, o que facilita a vida de quem não consegue comprovar uma renda fixa, ou em certos casos, possui restrição no nome, mas mesmo assim pode ter a solicitação de entrada em um consórcio de imóveis aprovada.

Existe outra maneira de ser contemplado por meio da oferta de lances, que funcionam como adiantamentos do restante do valor a ser pago.

Os principais são:

❏ Lance fixo: a contribuição é feita mensalmente com uma porcentagem estabelecida pela administradora, além do valor da parcela acordada em contrato. Entre todos que se dispõem a ofertar lances fixos, aquele que tiver a cota mais próxima da última sorteada antecipa o recebimento da carta de crédito.

❏ Lance livre: o consorciado usa recursos próprios para oferecer o seu lance, assim como um leilão. A cada assembleia, o maior lance é contemplado.

❏ Lance embutido: neste caso, há possibilidade de oferecer uma porcentagem do valor da própria carta de crédito como lance, abatendo a quantia do valor final a ser recebido. Vence quem ofertar o maior lance.
Agora, para facilitar ainda mais este processo, saiba que é possível utilizar o FGTS em um consórcio. Você pode usar para dar os lances, quitar parcelas em aberto, ou ainda para complementar o valor da sua carta de crédito para adquirir um bem mais caro.

No entanto, é preciso que você esteja em conformidade com as normas de utilização do FGTS para que o recurso seja sacado. Além de o consórcio estar em seu nome.

As vantagens são bem atrativas e você ainda consegue contar com ajuda extra do valor disponível em seu fundo.

Linha de financiamento habitacional pró-cotista

Outro incentivo para ajudá-lo a realizar o sonho da casa própria é a linha de crédito pró-cotista, reaberta início de janeiro/2018 pela Caixa Econômica Federal. Essa é uma das linhas de crédito imobiliário mais baratas do país.
A linha pró-cotista usa os recursos do Fundo de Garantia, mas para utilizá-lo é preciso ter pelo menos três anos de vínculo com o FGTS e não pode ser proprietário de imóvel na mesma cidade ou região metropolitana.

Os juros variam de 7,85% a 8,85% ao ano. O valor do imóvel não pode passar de R$ 950 mil em São Paulo, Minas Gerais, Rio e Distrito Federal. E nos outros estados, o valor máximo é de R$ 800 mil.

Programa Minha Casa Minha Vida

Além dos incentivos já mencionados, não podemos deixar de falar do Programa Minha Casa Minha Vida. Uma iniciativa do Governo Federal que oferece condições atrativas para o financiamento de moradias nas áreas urbanas para famílias de baixa renda.
Nessa modalidade existem 4 faixas de renda contempladas:

Famílias com renda de até R$ 1.800,00:

Faixa 1 – O financiamento é de até 120 meses, com prestações mensais que variam de R$ 80,00 a R$ 270,00, conforme a renda bruta familiar. A garantia para o financiamento é o imóvel que você vai adquirir.

Famílias com renda de até R$ 2.600,00:

Faixa 1,5: Você pode adquirir um imóvel novo com taxas de juros de apenas 5% ao ano e até 30 anos para pagar com subsídios de até 47,5 mil reais.

Nas FAIXAS 2 e 3 você tem até 30 anos para pagar e pode comprar um imóvel novo ou na planta, comprar terreno e construir sua casa do jeito que sempre quis ou ainda construir em um terreno que já é seu.

❏ Famílias com renda de até R$ 4.000,00:
FAIXA 2: Se sua família tem renda bruta de até R$ 4.000,00, você se encaixa nesta faixa e pode ter subsídios de até R$ 29.000,00.

❏ Famílias com renda de até R$ 7.000,00:

FAIXA 3: Para famílias com renda bruta de até R$ 7.000,00 , a faixa 3 oferece taxas de juros diferenciadas em relação ao mercado para você conquistar uma casa própria.

Para mais informações sobre o Programa Minha Casa Minha Vida acesse: https://goo.gl/bdweMc

Bem, depois de obter essas informações esperamos que tenha ficado mais claro que é possível realizar o seu sonho.
Confira algumas opções que temos para você! Acesse: https://goo.gl/etmevV

Venha nos fazer uma visita e conhecer os nossos projetos. Você vai se sentir em casa.

Como comprar seu primeiro imóvel usando o FGTS

Antes de tudo, você sabe o que é FGTS?

A sigla que significa Fundo de Garantia para Tempo de Serviço, foi um mecanismo criado pelo governo para atuar como uma reserva financeira para o trabalhador.

Quem trabalha com registro em carteira recebe um depósito mensal que corresponde a 8% do salário. A transição é efetuada pela empresa em que você trabalha, diretamente em uma conta criada automaticamente na Caixa Econômica Federal.

Quem pode usar o FGTS para comprar imóvel?

Apesar de todos os trabalhadores terem direito ao fundo, existem algumas normas que precisam ser consideradas:

❏ É preciso ter um mínimo de 3 anos de carteira assinada, mas não é necessário que o período seja contínuo. Por exemplo, você pode ter trabalhado um ano em 2009 e mais dois anos em 2016;
❏ Você não pode ter nenhum financiamento ativo no Sistema Financeiro de Habitação (SFH);
❏ Também não pode ser proprietário de nenhum imóvel residencial no município em que pretende comprar. Dessa forma, se você já tem um imóvel em Florianópolis, poderá comprar outro em Palhoça;
❏ É obrigatório trabalhar ou morar no município em que você pretende comprar o imóvel utilizando o FGTS.

Quais imóveis podem ser comprados com o FGTS?

Não são todos os imóveis que podem ser comprados com a ajuda do FGTS. Primeiro, é preciso verificar se a propriedade que você possui interesse está cadastrada no Sistema Financeiro de Habitação (SFH) dentro de um limite de valor que é definido de tempos em tempos.

Além disso, o imóvel precisa ser urbano residencial e destinado à moradia do trabalhador.
Então, se você pensa em comprar para investir, não poderá usar o FGTS.

 

Como é feito o saque do fundo?

Quando você utiliza o FGTS como parte do pagamento de um imóvel, você não lida diretamente com o dinheiro. É necessário solicitar o saque a um agente financeiro por meio de um documento e, assim que tudo estiver aprovado, o depósito é feito direto na conta do vendedor.

Os agentes financeiros podem ser desde bancos, consórcios ou companhias de crédito imobiliário. É fundamental estar alerta para ver se o agente financeiro escolhido trabalha com o FGTS, pois não são todos que atendem essa modalidade.

Para que você consiga usar o seu FGTS, é necessário que a aquisição do imóvel seja feita em seu nome. Agora, se quiser usar o saldo de outra pessoa, a compra deve ser efetuada no nome dos dois.

Outra informação bem importante é que além de utilizar o saldo da sua conta de FGTS para comprar o imóvel, você também pode amortizar o saldo devedor, ou ainda, usar para diminuir o valor das prestações do financiamento.

Entre em contato diretamente com CAIXA (48)3004-1105 para obter mais informações.

Ainda vale ressaltar, que nenhuma dívida do trabalhador o impede de usar o FGTS.

Documentação necessária

Ao solicitar o FGTS para comprar imóvel , você precisa comprovar que atende a todos os requisitos listados acima. Além disso, é necessário ter em mãos:

-> Carteira de trabalho;
-> Comprovante de residência;
-> Certidão de nascimento e de casamento (se for o caso);
-> Carteira de identidade;
-> CPF.

Você também precisa comprovar que o imóvel está em situação regular, por isso, separe a certidão de matrícula e a cópia do IPTU da casa ou apartamento para também levar junto com você.

Após a entrega da documentação, caso aprovada, seu saldo do Fundo de Garantia é investido na tão sonhada da casa própria.
Para saber quais opções de moradia nós da Konkreta temos para você clique aqui .
Para mais informações sobre o uso do FGTS acesse: https://goo.gl/cz1jGx

Consórcios de Imóveis crescem 47% no ano

As vendas de novas cotas de consórcios de imóveis cresceram 47% no acumulado de Janeiro a Setembro em comparação com o mesmo período de 2014. Segundo balanço divulgado no último dia 3/11 pela Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (Abac), houve 179,6 mil ingressos em consórcios para aquisição de imóveis nos primeiros nove meses de 2015, em comparação a 122,2 mil nos mesmos meses do ano passado.

imagesLevando-se em conta outras modalidades de consórcios (motocicletas, veículos novos, veículos usados, além de imóveis), o crescimento no período foi 4,4%, com a venda de 1,74 milhão de cotas de Janeiro a Setembro. No período equivalente de 2014, houve 1,67 milhão de novos ingressos. No total, o número de participantes de consórcios chegou a 7,15 milhões em Setembro de 2015. No mesmo mês do ano passado, 6,98 milhões de pessoas participavam de alguma modalidade de consórcio.

A associação atribui a expansão do setor ao cenário econômico atual, que incluí alta da inflação e taxas de juros, além de mudanças nas regras para financiamento de imóveis. “O consumidor brasileiro tem procurado reavaliar seus gastos mensais estabelecendo mudanças nas condutas pessoais ou familiares dentro do orçamento do mês, visando à manutenção do seu poder de compra”, ressalta a nota da Abac.

Os consórcios de veículos leves tiveram aumento de 14,5% nas vendas no acumulado dos nove primeiros meses de 2015. De Janeiro a Setembro houve 709,5 mil novos ingressos no sistema, enquanto no mesmo período do ano passado foram 619,5 mil. Ao todo, havia 3,12 milhões de participantes de consórcios para aquisição de veículos de passeio e caminhonetes em Setembro deste ano, crescimento de 8,3% em comparação a Setembro do ano passado. No mesmo mês de 2014, havia 2,88 milhões de participantes.

O resultado foi negativo levando-se em conta apenas o ramo de motocicletas. A venda de novas cotas para aquisição de motos teve queda de 8,6% entre Janeiro e Setembro deste ano em comparação com o mesmo período de 2014. No acumulado dos nove primeiros meses de 2015 foram registrados 802,8 mil novos ingressos em consórcios para compra de motos. No mesmo período do ano passado as vendas desse tipo somaram 878,5 mil. Ao todo, os consórcios para veículos de duas rodas englobavam 2,89 milhões de participantes em Setembro, contra 3,01 milhões no mesmo mês de 2014.

FONTE: Agência Brasil

Economia: Banco Central estimula bancos a financiarem mais de 80% do valor do imóvel.

Novas regras anunciadas na última quinta-feira (29/10)  pelo Banco Central  estimularão  os  bancos  a  ampliar  limite  de financiamento imobiliário.

Banco Central
O Banco Central (BC) diminuiu a parcela que os bancos são obrigados a deixar parada no caixa para cumprir os requerimentos mínimos de capital nos financiamentos de maior valor. A decisão foi divulgada pelo BC logo após reunião do Conselho Monetário Nacional que definiu mudanças na regulação que reduz o risco de operações de crédito do sistema financeiro.

Até agora, os bancos que financiassem pelo menos 80% do valor do imóvel, nas operações enquadradas como de varejo, eram obrigados a deixar 75% do empréstimo parado no caixa como requerimento de capital. Para operações mais caras, não consideradas como de varejo, a exigência subia para 100% do valor. Até o mutuário terminar de pagar o empréstimo, o banco não podia mexer nesse dinheiro.

Agora, o BC autorizou que, quando o cliente começar a pagar as parcelas e estiver devendo 80% do imóvel, o banco deixe apenas 35% do total do empréstimo imobilizado. Dessa forma, a instituição financeira terá mais dinheiro para conceder novos financiamentos. Com a decisão, os financiamentos de pelo menos 80% do valor do imóvel passarão a ter o mesmo tratamento das operações abaixo desse limite, que tinham requerimento de capital de 35%.

De acordo com o BC, a mudança servirá como estímulo para os bancos ampliarem o limite de financiamento imobiliário. As novas regras, no entanto, não resultam em alteração para a Caixa Econômica, que concentra 70% do crédito imobiliário no país. No fim de abril, o banco reduziu, de 80% para 50%, o teto de financiamento pelo Sistema Financeiro da Habitação. Até então, a instituição era a única a financiar mais de 80% do valor do imóvel. No entanto, a decisão incentiva bancos privados que operam no ramo imobiliário a emprestarem mais.

FONTE: Agência Brasil