Economia: Banco Central estimula bancos a financiarem mais de 80% do valor do imóvel.

Novas regras anunciadas na última quinta-feira (29/10)  pelo Banco Central  estimularão  os  bancos  a  ampliar  limite  de financiamento imobiliário.

Banco Central
O Banco Central (BC) diminuiu a parcela que os bancos são obrigados a deixar parada no caixa para cumprir os requerimentos mínimos de capital nos financiamentos de maior valor. A decisão foi divulgada pelo BC logo após reunião do Conselho Monetário Nacional que definiu mudanças na regulação que reduz o risco de operações de crédito do sistema financeiro.

Até agora, os bancos que financiassem pelo menos 80% do valor do imóvel, nas operações enquadradas como de varejo, eram obrigados a deixar 75% do empréstimo parado no caixa como requerimento de capital. Para operações mais caras, não consideradas como de varejo, a exigência subia para 100% do valor. Até o mutuário terminar de pagar o empréstimo, o banco não podia mexer nesse dinheiro.

Agora, o BC autorizou que, quando o cliente começar a pagar as parcelas e estiver devendo 80% do imóvel, o banco deixe apenas 35% do total do empréstimo imobilizado. Dessa forma, a instituição financeira terá mais dinheiro para conceder novos financiamentos. Com a decisão, os financiamentos de pelo menos 80% do valor do imóvel passarão a ter o mesmo tratamento das operações abaixo desse limite, que tinham requerimento de capital de 35%.

De acordo com o BC, a mudança servirá como estímulo para os bancos ampliarem o limite de financiamento imobiliário. As novas regras, no entanto, não resultam em alteração para a Caixa Econômica, que concentra 70% do crédito imobiliário no país. No fim de abril, o banco reduziu, de 80% para 50%, o teto de financiamento pelo Sistema Financeiro da Habitação. Até então, a instituição era a única a financiar mais de 80% do valor do imóvel. No entanto, a decisão incentiva bancos privados que operam no ramo imobiliário a emprestarem mais.

FONTE: Agência Brasil

Novo revestimento mantém coberturas de edifícios a temperaturas inferiores

Investigadores da Universidade de Tecnologia de Sydney (UTS) desenvolveram um revolucionário material de revestimento para coberturas de edifícios que permite manter a superfície a uma temperatura inferior à temperatura ambiente, mesmo quando exposta diretamente aos raios solares durante os meses de Verão.

A inovadora tecnologia poderá ter implicações globais na redução dos gastos energéticos decorrentes do funcionamento dos ares-condicionados para arrefecimento dos compartimentos e também no combate ao efeito estufa em áreas urbanas.

O material de revestimento, fabricado por intermédio da sobreposição sucessiva de camadas de poliéster e prata, absorve apenas 3% da luz incidente e permite a dissipação do calor através de irradiação com comprimentos de onda infravermelhos, que não são absorvidos pela atmosfera.

Quando aplicado sobre uma cobertura inclinada de cor branca, o revestimento permitiu a redução da temperatura superficial em 11 graus centígrados.

Extensas campanhas de ensaios efetuadas com o novo material de revestimento permitiram concluir também que seu desempenho não se altera significativamente quando há acumulo de sujeira superficial, sendo por isso aplicável em zonas com elevada poluição atmosférica.

FONTE: Portal da Engenharia Civil

São José – a 15ª cidade mais igualitária do Brasil

Altas da Desigualdade Social avaliou índices de todas as cidades do país.São José

Dos sete indicadores que compõem a essência do Altas de Exclusão Social — um panorama nacional da desigualdade social no país —, Santa Catarina está presente entre as melhores posições nos rankings. Essa situação privilegiada coloca o Estado entre as regiões mais igualitárias do país. De acordo com o levantamento, SC tem 59% de suas cidades em uma situação positiva. Focando-se na Grande Florianópolis, destaca-se São José, que ocupa a 15ª posição — sendo a maior das cidades posicionadas.

Com uma população de mais de 200 mil habitantes, São José enfrenta os problemas das cidades grandes, mas consegue manter números parecidos com os das primeiras colocadas — todas cidade de interior — e as ultrapassa no índice de escolaridade, com média 0,809, enquanto Pomerode, no Vale do Itajaí, o primeiro lugar, apresenta média 0,499. Quanto mais próximo de 1, melhor é a classificação.Formação continuada para os professores, projetos para corrigir distorções de série e Educação de Jovens e Adultos são algumas das ações que colaboraram para que o índices educacionais da cidade se destacassem. E a prefeita Adeliana Dal Pont diz que pretende fazer mais.— Os investimentos na formação dos professores, a Casa do Educador, a igualdades de salários para os ACTs são conquistas importantes. Isso atrai bons profissionais e consequentemente melhora a educação. Vamos continuar trabalhando para manter a longevidade dos projetos — explica.Desafio é manter a qualidade

Apesar dos bons resultados, a prefeita tem consciência das dificuldades de manter a cidade no topo do ranking das cidades mais igualitárias.
O maior desafio é saber como continuar crescendo. Como estamos na área metropolitana, muitas vezes acabamos absorvendo muitos problemas, mas a cidade merece esse destaque positivo. Estamos começando a fazer o Plano Diretor, para estarmos preparados para o crescimento. Em breve será feira a licitação do transporte coletivo pela primeira vez na cidade. Também queremos melhorar a segurança com ações paralelas, criando parques de lazer e esportivos, ações que já estão em andamento _ enumerou Adeliana.

Desafio de alfabetizar

Professores como Onésia Ana Botameli, 63 anos, fazem a diferença na alfabetização em São José e contribuem para o destaque educacional positivo do munícipio. Há 23 anos na rede municipal, ela se especializou em alfabetização, e hoje se dedica a ensinar crianças e adolescentes do Projeto Termos de Aprendizagem (TAS) com distorção de idade-série na Escola Municipal Jardim Solemar. Com brilho nos olhos, ela fala da paixão de ensinar e a felicidade de ver os resultados.

É um desafio grande, mas em dois anos queremos terminar com a distorção. É um trabalho de formiguinha, de sentar do lado e ajudar na dificuldade do aluno, mas ver os esforço e o aprendizado deles é gratificante. Esse projeto tem a dinâmica com uma sala de aula diferenciada, com um olhar especial para as dificuldades de cada um, além do trabalho ser interdisciplinar, com mais de um professor em sala de aula — explicou Onésia.

Sobre o estudo

— O Atlas considera indicadores de pobreza, emprego, desigualdade, escolaridade, juventude e violência, baseados em dados do Censo Demográfico do IBGE de 2010, lançado essa semana em Brasília. l Um dos autores responsáveis pelo estudo, Ricardo Amorim, cita que o histórico de ocupação de SC com níveis sociais mais iguais, deu a oportunidade para a construção de cidades mais igualitárias.
— A presença das cidades menores classificadas entre as melhores no ranking nacional é explicada por Amorim, pelo fato de que, diferente das grandes metrópoles, elas não sofrem com o fluxo de migração de pessoas gerando o crescimento desordenado e o surgimento de favelas. Nas cidades menores, as pessoas têm oportunidades mais semelhantes, explica o autor.
— Em 2000, das 100 cidades menos desiguais do Brasil, 14 delas eram de SC. Em 2010, o número subiu para 19.

Já pensou morar em São José? Conheça o Residencial Ana Beatriz
FONTE: Hora de Santa Catarina

Dicas para organizar uma Open House para ninguém botar defeito

doces-open-houseFinalmente a mudança foi concluída, e tudo está devidamente em seu lugar. Está na hora de convidar as pessoas mais próximas para apresentar seu novo endereço! Open house (casa aberta, em inglês) é o nome que se dá à estreia da casa nova. O evento pede capricho, mas nada de estresse. A ordem é abrir as portas, deixando a formalidade do lado de fora. Petiscos graciosos e fáceis de fazer que dispensam pratos e talheres, e bebidas também self-service. Assim, todo mundo curte muito mais.Um boa pedida é bolar um cardápio de petiscos para pegar com os dedos (a chamada finger food), que reduz a trabalheira de lavar pratos no pós festa.
DICA: adote o sistema self-service. Arrume todos os petiscos e bebidas de uma forma que permita a todos os convidados se servirem à vontade, sem cerimônia.

Programar uma festinha hoje em dia, mesmo em casa, ficou muito mais simples, descontraído e gostoso – principalmente para quem recebe. O anfitrião precisa aproveitar a festa junto com os convidados e evitar ficar preocupado o tempo todo. Eventos para grupos pequenos, mais descontraídos, não exigem tanto planejamento. Os famosos salgadinhos (empanados, fritos ou assados) deram lugar a petiscos bem mais leves, sem tanta massa e que não pesam no estômago dos convidados, pois como quase sempre eram adquiridos prontos, acabavam esfriando até a hora da festa.
DICA: escolha receitas de petiscos que possam ser preparadas com antecedência, para que tenha tempo de sobra para se arrumar.

Sobre os utensílios, vale usar copos e pratos do dia a dia, mesclar jogos descoordenados, inventar novas utilidades para as peças. Uma boa opção para quem não tem itens em número suficiente ( ou não dispõe de espaço para guardá-los), é recorrer à locação: custa pouco, e você ainda pode variar cores e estilos a cada festa.
DICA: se optar por servir uma receita mais substanciosa, como saladas, sopas e pratos quentes, evite grandes travessas e pilha de pratos. Sirva pequenas porções individuais, cada qual com sua colher. Vale usar copinhos, canequinhas esmaltadas e até taças de sobremesa.

Convite expresso

Quer convidar os amigos para sua festa de maneira fácil e rápida? Procure ajuda na internet. Há sites que certamente podem ajudar. Duas dicas antenadas são:
WebVites: você escolhe um tema para personalizar seus convites, adiciona os dados da festa, seleciona os convidados (usando os contatos de sua caixa postal e redes sociais) e ainda verifica quem confirmou presença. O site é prático, grátis e dispõe de passo a passo.

Pingg: oferece modelos muito bacanas de convites e cartões para as mais diversas ocasiões. Um contra é que o conteúdo é todo em inglês. A navegação também é mais complicada e exige um pouco mais prática do usuário.

Eventos no Facebook: crie eventos privados, e convide seus amigos através da Rede social. Super prático, grátis, prático, e é possível verificar quem confirmou presença e quem infelizmente não poderá comparecer.

Caprichar na trilha sonora é o primeiro passo para garantir o sucesso da festa. Mas ATENÇÃO, quem opta por viver em um apartamento deve evitar atitudes e comportamentos que dificultem o bom convívio social entre os moradores. Quando o assunto é “Festa no apartamento” é preciso ficar atento ( e respeitar ) os horários e regras previamente estabelecidas.

Por isto, seguem algumas dicas para você evitar reclamações com excesso de barulho ou problemas com vagas de estacionamento, quando amigos e convidados chegarem para o seu Open House:

  1. Comunique ao Síndico a respeito da festa e conte detalhes como: dia, horário, duração e número de convidados;
  2. Deixe uma lista com os nomes dos convidados na portaria para facilitar a entrada na festa e evitar problemas de segurança;
  3. Respeite os horários de silêncio do condomínio, som alto só até as 22h00. Procure não arrastar móveis ou usar sapatos com salto, o barulho pode incomodar o vizinho do andar debaixo;
  4. A utilização de vagas pelos convidados, muitas vezes, não é permitida nos condomínios. Por isso, mesmo se você tiver uma vaga sobrando, peça para que seus amigos e convidados estacionem os carros na rua ou em um estacionamento.
  5. Não atire comida, lixo ou objetos pela janela. O ato mostra desrespeito, pode machucar alguém, e em alguns condomínios pode ser sujeito a multa;
  6. Avise os seus vizinhos mais próximos que você irá realizar uma festa. E porque não convidá-los?
  7. Tente começar a festa mais cedo. Assim, você e os seus convidados aproveitarão mais e não ouvirão possíveis reclamações de barulho após um certo horário;
  8. Se a festa for realizada nas áreas comuns do prédio, certifique-se que tudo foi devidamente limpo. É importante devolver do jeito que você encontrou;
  9. Áreas gourmet, por exemplo, são um ótimo espaço para realizar uma reunião íntima entre amigos. Em caso de acidentes, providencie a reposição das peças que sofrerem algum tipo de dano;
  10. Se não for permitido o consumo de cigarro e de bebidas alcoólicas nas áreas de lazer do condomínio, avise seus convidados com antecedência, para não gerar desconfortos durante a festa;

Algumas imagens para se inspirar, na hora de organizar o seu Open House:

Konkreta inicia processo de entrega de chaves

ChaveAo todo foram 16 meses de obra, e muito empenho de toda a Equipe Konkreta. Trabalhamos duro e cuidamos de cada detalhe, sempre visando a satisfação de nossos Clientes e prezando pela qualidade de nosso serviço.

Com muita alegria, hoje damos início ao processo de entrega das chaves aos proprietários do Residencial Torres da Bella Vista. Entendemos que para muitos, este momento significa a Realização de um sonho. Em fim, o apartamento próprio!

O Residencial Torres da Bella vista fica localizado no bairro Bela vista, em Palhoça, próximo à UniLar. De fácil acesso pela BR-282, possui 6 tipos de planta, todos com opção de apartamentos com adaptação para Portadores de Necessidades Especiais, sacada com churrasqueira, medições de água, gás e luz individuais. Dispõe ainda de salão de festas equipado e decorado com espaço gourmet, sala de jogos com mesa de sinuca, pebolim e Xbox 360, espaço kids, piscina, quadra poliesportiva, portão eletrônico, zeladoria, portaria com guarita, e paisagismo.

Parabéns aos mais de 140 proprietários pela conquista, e a todos da Equipe konkreta que contribuíram para a realização deste projeto. Mais um sucesso de vendas Konkreta, atualmente o empreendimento conta com 97% de suas unidades vendidas.

Conheça o empreendimento:

* algumas das fotos foram tiradas e divulgadas por proprietários / futuros moradores.

O público Jovem como foco principal de Construtoras

get_imgCompradores procuram apartamentos pequenos que facilitam a organização e a limpeza.

As construtoras têm hoje nos jovens seu principal foco. De acordo com publicação do Diário Digital, os compradores com idade entre 25 e 35 anos representam atualmente até 30% dos clientes de imóveis na planta e até 80% dos que procuram imobiliárias.

É um público considerado exigente e que está mudando a rota de investimentos das empresas. Pensando nele, o mercado tem investido em produtos e preços atrativos. “Hoje os jovens estão com renda própria e querem mais independência”, constata Valéria Gabas, gerente regional da incorporadora Vanguard. Além disso, procuram apartamentos pequenos que facilitam a organização e limpeza. Muitos, ainda, prezam por empreendimentos com área de lazer e que estejam em boa localização, próximos a supermercados, por exemplo.

“Antes era difícil comprar um imóvel, tinha que poupar bastante para dar uma entrada porque as taxas eram altas. Hoje, com a redução dos riscos para os bancos, é possível financiar com uma pequena reserva”, compara a profissional da Vanguard, salientando como melhora da renda e a facilitação do acesso ao crédito imobiliário refletiram no aumento desses jovens compradores.

Os consumidores com idade até 35 anos já são mais da metade dos mutuários da Caixa Econômica Federal que compram imóvel financiado no País. Conforme o banco, eles representaram no ano passado 57% de toda a carteira de habitação.

O presidente do Sindicato de Corretores de imóveis, James Antonio Gomes, ressalta que 80% dos clientes que procuram imóveis para comprar têm entre 20 e 35 anos. Dos 21 imóveis vendidos por James em um empreendimento recente na capital paulista, 17 são de compradores jovens. Segundo ele, as construtoras devem estar cada vez mais atentas, já que clientes mais jovens costumam ser mais exigentes. “É bom prestar atenção porque esse público procura mais além do preço – quer, principalmente, qualidade”.

 

FONTE: Revista Pense Imóveis

Palhoça recebe caminhão ecológico com exposição itinerante SOS Mata Atlântica.

O objetivo principal do projeto é despertar o interesse do público, para os desafios de se preservar o que ainda resta da floresta nativa.

De 6 a 15 de março, Palhoça vai ser o palco da exposição itinerante “A Mata Atlântica é aqui”, que percorre o Brasil a bordo de um caminhão ecológico, devidamente adaptado para receber estudantes e interessados no tema. O objetivo da ação é de estimular a conscientização ambiental da população, com atividades educativas e divertidas.

O caminhão, da Fundação SOS Mata Atlântica, que recebe grupos e escolas com visitas monitoradas, ficará na Praça 7 de Setembro, no Centro, das 10 às 17 horas, e conta com uma estrutura adequada para pessoas com deficiência. Para agendamento dos grupos, é necessário entrar em contato pelo e-mail projeto.itinerante@sosma.org.br.

A exposição itinerante pegou a estrada em 2009 e, desde então, já percorreu cerca de 200 localidades, nas regiões Sul, Sudeste, Nordeste e Centro-Oeste. Finalmente, chegou a Palhoça, mantendo vivo o objetivo principal de despertar o interesse do público-alvo, para os desafios de se preservar o que ainda resta da Mata Atlântica.

Os interessados podem participar de palestras, oficinas, jogos educativos, exposições, apresentações artísticas e exibições de vídeos, entre outras atividades. E, o mais interessante, podem se tornar voluntários do projeto. O projeto trata, ainda, de um tema bastante recorrente, o monitoramento da qualidade da água, que é uma preocupação constante, nas grandes cidades.

Em toda cidade que o projeto visita, a Fundação SOS Mata Atlântica realiza a análise da qualidade da água local, seja de um rio, córrego ou lago. O monitoramento utiliza 14 parâmetros físico-químicos para a análise, que envolvem itens como a transparência da água, lixo e odor, e classifica a qualidade da água como péssima, ruim, regular, boa e ótima. O resultado é divulgado no blog da Fundação: www.sosma.org.br/blog/.

Como atividades, a programação oferece: cenografia interativa, apresentações de manifestações artísticas regionais, palestras e rodas de conversas, atividades lúdicas, jogo da memória, jogo ludo ambiental, pintura de máscaras e outras. Tudo com o envolvimento de Ongs locais, buscando o levantamento de dados atualizados da situação local e regional.

O projeto tem o patrocínio do Bradesco Cartões e Volkswagen Caminhões & Ônibus, e parceria local da Prefeitura Municipal de Palhoça, Fundação Cambirela do Meio Ambiente (FCAM), e Secretaria Municipal da Educação.

Tabela Programação

 

FONTE: Comunicação / Prefeitura de Palhoça - Portal do Cidadão

Saiba quais os fatores que influenciam no preço do imóvel

Boa localização é responsável por até ¼ do valor, enquanto segurança responde por 15% do montante

No momento de escolher um imóvel, a localização é o item de maior relevância para o comprador. O desejo de morar perto do trabalho e também encontrar na vizinhança uma boa infraestrutura são itens que valorizam o preço da propriedade.

Assim como a localização é um fator que influencia o valor do imóvel, segurança é outro item que tem uma parcela significativa na hora de fechar negócio.

Com ajuda de consultores de empresas da área imobiliária foi feita uma simulação de quanto cada fator pode ser responsável por influenciar o preço de um imóvel.

Imóveis situados em uma área onde há hospitais, farmácias, bancos e supermercados acessíveis levam vantagem. A localização da propriedade é responsável, de acordo com Lindenberg ( consultor de empresas da área imobiliária), por 25% do preço da casa ou apartamento.

Hoje em dia, as pessoas querem morar próximo a serviços e encontrar infraestrutura na região, um shopping na região é um grande atrativo. Estádios também, mas em dias de jogo pode se tornar um pesadelo para quem mora nas redondezas.

“Portão automático com rápida abertura, chaves de porta com segredo e elevador automatizado, que é aquele que só consegue locomover quem tem o código do andar, são itens que atraem os moradores”, explica Lindenberg.

Além da segurança, contar com um local para estacionar o automóvel também é levado em consideração. Por falta de espaço na rua, ter a oportunidade de oferecer à visita um lugar para estacionar o carro dentro do prédio é uma vantagem. Portanto, vaga na garagem contabiliza 15% como influenciador no valor de um imóvel.

As incorporadoras estão apostando na diversidade de opções que envolvem a área de lazer, fator responsável por 10% do preço da propriedade.

Há empreendimentos que oferecem sala de cinema, brinquedoteca e área para praticar esporte. Piscina e churrasqueira são atrativos que costumam chamar a atenção do comprador. “Mesmo que muitos moradores usem tais itens com pouca frequência, eles ainda são itens solicitados, já que integram a família e amigos no local”, diz o consultor.

O fator sol é outro elemento que interfere na venda da propriedade. A estimativa de Lindenberg é de que uma boa posição da propriedade tem 7% de peso sobre o valor do imóvel.

O executivo lembra que, ainda assim, a localização é um item mais importante para a valorização do imóvel. Ou seja, a propriedade vale mais pela infraestrutura do local em que está situada do que se recebe sol pela manhã, embora este seja um quesito de peso.

O andar em que um apartamento está localizado também pode ter interferência no preço, sendo responsável por 6% do montante. “As unidades mais baixas são as menos procuradas”, diz Lindenberg. Portanto, quanto mais alto é o andar de um apartamento, mais ele é valorizado.

Varandas em apartamentos também valorizam mais a área construída. De acordo com Lindenberg, elas influenciam o valor do imóvel em 5%.

Automação residencial e predial também oferece um diferencial à propriedade. “Muitos prédios estão ajustados à tecnologia e disponibilizam cabo para televisão e wireless”, aponta o consultor. Tal avanço pode somar 4% do preço da propriedade.

“Imóveis em frente a parques, praças, praias e calçadão também são valorizados”, aponta o consultor. De acordo com ele, a vista que o imóvel oferece pode influenciar cerca de 4% do seu valor.

 

 

FONTE: Revista ZAP Imóveis

Crédito imobiliário somou R$ 112,9 bi em 2014, segundo a Abecip

15abc96e2604bef348bfe6d5560ef8a5253ff7b7Em dezembro, o crédito imobiliário somou R$ 10,6 bilhões, cifra 2,7% maior ante um ano e 18,3% em relação a novembro, conforme a entidade.

O volume de empréstimos para aquisição e construção de imóveis somou R$ 112,9 bilhões em 2014, segundo a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), volume 3,4% maior do que o identificado no ano anterior. O desempenho do período ficou abaixo da projeção da Abecip, de avanço de 5% em 2014.

Em dezembro, o crédito imobiliário somou R$ 10,6 bilhões, cifra 2,7% maior ante um ano e 18,3% em relação a novembro, conforme a entidade. Trata-se do melhor Dezembro da série histórica do sistema brasileiro de poupança e empréstimo (SBPE) e o segundo melhor, sem distinção de mês, de acordo com a Abecip.

Foram financiadas, segundo a Abecip, 49,6 mil unidades em dezembro, alta de 19,7% na comparação com novembro e declínio de 2,5% em 12 meses. No ano passado, o total chegou a 538,3 mil imóveis, volume 1,6% maior em relação a 2013. A poupança registrou captação líquida positiva em 2014, de acordo com a associação. Foram R$ 4,77 bilhões em dezembro e ingresso líquido de R$ 23,8 bilhões em todo o exercício passado. Os depósitos em poupança são uma das principais fontes de financiamento para o crédito imobiliário.

 

Fonte: InfoMoney

Konkreta Construtora marca presença em evento Alvinegro

DSC02186

Na noite desta terça-feira (20), ocorreu no Orlando Scarpelli, a apresentação do novo elenco, desfile da coleção de uniformes de jogo, treino e passeio do Figueirense para este ano de 2015. Como apoiadora do time, a Equipe Konkreta se fez presente no evento, que contou também com a apresentação da Bateria da escola de samba Gaviões Alvinegros e da participação especial do Manézinho Darci.

O reencontro do Figueirense com os alvinegros teve festa, homenagens e surpresa. A torcida lotou o setor A do Scarpelli para ver a apresentação.

A entrada do técnico Argel no palco, que foi montado acima do gramado do Estádio Orlando Scarpellifoi festejada como um gol:

- Preparem o coração que a temporada promete ter mais emoções do que a última – pediu o treinador, que aproveitou a oportunidade para anunciar quem será o novo capitão Alvinegro: Marquinhos.

O zagueiro foi pego de surpresa e a torcida foi à loucura.
- Ele não tinha falado nada que eu seria o capitão permanente. Fico muito feliz com isso, como jogador mais experiente do grupo vou passar tranquilidade para os jovens, precisamos muito deles nesta temporada. Esse será o meu papel, já fazia no ano passado mesmo não sendo capitão – explicou Marquinhos.

Ele é o atleta mais experiente do grupo, com 32 anos, e já foi capitão em outras equipes. Além da responsabilidade de liderar um grupo com mais de 30 atletas, ele tem a missão de comandar o Figueira na luta pelo bicampeonato do Campeonato Catarinense.
– É a nossa missão, sabemos que será complicado mas já mostramos que temos força e condições para superar tudo — defendeu o atleta.

Confira algumas fotos: