Caixa Econômica aumenta para 70% financiamento de imóveis usados

Já para quem trabalha no setor público, valor pode chegar a 80%

A Caixa Econômica Federal anunciou na última segunda-feira (7), que vai financiar até 70% de imóveis usados através do Sistema Financeiro da Habitação (SFH), para funcionários do setor privado. Já para quem trabalha no setor público a cota mudou de 60% para 80%. A medida foi divulgada pelo vice-presidente de Habitação da Caixa, Nelson Antonio de Souza.

Vale lembrar que em maio de 2015, o limite de financiamento para imóveis usados tinha sido reduzido pela instituição financeira, quando caiu de 80% para 50%. Na época, a Caixa divulgou que a medida era para estimular o crédito habitacional para moradias novas.

miriam_belchior

Além disso, Miriam Belchior, presidente da Caixa, anunciou a reabertura do financiamento do segundo imóvel, que vai funcionar com as mesmas condições de financiamento de um primeiro imóvel. Para quem não se lembra, essa linha de crédito estava fechada, e com essa alteração o cliente vai poder ter dois imóveis financiados ao mesmo tempo, ou até mesmo conseguir ganhar tempo para vender a primeira aquisição.

As mudanças no financiamento de imóveis tem como objetivo reaquecer a demanda e também retomar o crescimento imobiliário. Além dessas medidas, o banco anunciou o também aumento dos recursos para contratação do financiamento imobiliário.

tabela_financiamento

10 dicas para proteger sua casa enquanto você estiver viajando.

SEGURANÇANos meses de Dezembro/Janeiro e nas férias escolares de Junho/Julho, muitas pessoas viajam para descansar e se distrair com a família. Mas antes de fazer as malas e aproveitar o sossego, é importante tomar alguns cuidados para deixar a casa ou o apartamento em segurança.

Uma casa vazia se torna, fatalmente, mais vulnerável a esse tipo de crime. Por isso, para evitar essas ocorrências, existem algumas medidas básicas que deixam sua casa mais protegida enquanto você viaja:

1 – Caso não possua dispositivos de segurança, como câmeras e alarme, tente adquíri-los par desestimular os assaltantes. Procure os equipamentos nas lojas de matérias para construção ou no varejo especializado em segurança, os preços costumam ser mais acessíveis. Em geral, os assaltantes agem por impulso, e quando vêem uma casa com sistema de alarmes, geralmente eles desistem e procuram outro imóvel semelhante, mas sem equipamentos de segurança.

2 – Não comente sua viagem com pessoas estranhas.

3 – Comunique sua ausência a um vizinho de confiança. Telefone para ele de vez em quando, para saber se está tudo bem.

4 – Em ausências prolongadas, peça a um parente para visitar sua casa, para demonstrar a presença de pessoas – abrindo janelas, regando jardins, entrando com o carro na garagem. No caso de apartamento, deve-se deixar uma autorização por escrito, com anuência do síndico, para que a pessoa possa entrar no prédio.

5 – Evite colocar cadeado do lado externo do portão. Isso poderá denunciar a saída dos moradores.

6 – Desligue a campainha. Assim, você deixa em dúvida quem tocá-la apenas para verificar se há alguém em casa.

7 – Feche as portas com trincos e trancas. Reforce a porta da frente com fechaduras auxiliares.

8 – Não deixe joias ou dinheiro dentro de casa, mesmo dentro de cofres. Utilize cofres de bancos.

9 – Se sua casa possuir jardim, contrate ou peça para alguém mantê-lo limpo, evitando aspecto de abandono.

10 – Se a viagem for longa, deixe 2 jogos de chaves com pessoas de confiança para facilitar qualquer emergência.

NOS CONDOMÍNIOS – Além dos cuidados acima, os síndicos devem preparar um esquema especial para evitar surpresas durante as férias – quando muitos apartamentos ficam vazios.

É recomendado que os síndicos façam uma inspeção no sistema de segurança, verificando o funcionamento do circuito de alarmes e TV interna do condomínio. Em edifícios com grandes áreas externas, os funcionários devem fazer rondas periódicas, especialmente no período noturno. Caso os condomínios tenham contratos com empresas de segurança patrimonial, é fundamental solicitar a intensificação das rondas na porta do edifício.

Os funcionários devem estar sempre atentos ao que acontece nas imediações do condomínio. Carros parados por um longo período, pessoas estranhas observando o movimento ou qualquer outro fato estranho deve ser comunicado imediatamente ao zelador, à empresa responsável pela segurança ou mesmo à polícia. E antes de abrir o portão da garagem, o porteiro deve procurar identificar quem está dentro do veículo.

Essas dicas são válidas não só para os período de viagens. Qualquer feriado prolongado exige cuidados redobrados. Nunca é demais lembrar a mais básica das recomendações: verificar cuidadosamente as fechaduras de portas, janelas e sacadas.

Segurança nas edificações: responsabilidade além da lei

Ações preventivas tornam-se responsabilidade de todos os profissionais que atuam na construção civil.


O arquiteto projeta sonhos e, mais que isso, é o responsável por ajudar a manter a segurança das pessoas que confiaram no seu trabalho. Com o tema em pauta atualmente, as ações preventivas tornam-se responsabilidade de todos os profissionais que atuam na construção civil, ultrapassando a obrigatoriedade da regulamentação por lei.

O sistema preventivo de incêndio para construções tem como objetivo prevenir que tragédias ocorram diante de anormalidades. Quando um projeto é apresentado pelo arquiteto é preciso obedecer às normas de segurança e toda atenção necessária deve ser empregada para os detalhes.

“É preciso debater mais e dar ênfase à segurança, para alcançar uma conscientização”, afirma a arquiteta Karoline Stolf, em seu blog. Ela ressalta que o local e a empresa para a qual se realizam um projeto também precisam zelar pelo nome, além de fiscalizar se o sistema preventivo de incêndio é trabalhado de maneira devida.

Você está seguro?

“Todo local em que é previsto o fluxo e concentração de muitas pessoas – sejam edifícios, boates, teatros, shoppings, cinemas, estádios- e que pode gerar uma ocorrência anormal, deve ter como atitude preventiva um plano de emergência, medidas de proteção contra incêndios e pânico”, ressalta.

A arquiteta lista os principais itens que compõem a segurança edificação e dá a dica: “Ao entrar em um local de concentração de público observe a sinalização de balizamento”.

Além disso, atente-se para:

– Saídas de emergência suficientes, do tamanho certo para escoamento fácil e rápido das pessoas, bem sinalizadas.

– Dispositivos de prevenção e proteção contra o fogo com manutenção em dia e bem localizados (extintores de fácil acesso).

– Meios mecânicos ou naturais de exaustão da fumaça.

– Fonte de água.
Fonte: Redimob